Quinta, 27 Dezembro 2018 17:08

Curitibanos acolhe a 8ª edição da Caminhada Franciscana da Juventude.

Érika Augusto

Quando a Caminhada Franciscana da Juventude (CFJ) surgiu, em 2012, talvez ninguém imaginasse que essa iniciativa evangelizadora daria tão certo. De lá para cá, foram realizadas sete edições em três estados da Província: São Paulo, Santa Catarina e Paraná. No total, mais de 2.200 jovens participaram das CFJ. Somente nos dias do evento, foram percorridos 255 km. Isso sem contar as idas e vindas para as reuniões de preparação, as caminhadas feitas pelos organizadores para ver a viabilidade do trajeto, a ida e vinda dos participantes para sua cidade local e tantos outros quilômetros percorridos.

Desta vez, a serra catarinense acolhe a atividade, que chega à sua 8ª edição. A cidade de Curitibanos, com pouco mais de 40 mil habitantes, está de braços abertos para receber os mais de 500 participantes, número esperado pela organização da CFJ. Entre os dias 11 e 13 de janeiro, jovens vestidos com os famosos coletes amarelos estarão pelas ruas de Curitibanos, levando muita fé e animação por onde passarem.

Neste ano, os 800 anos do encontro de São Francisco com o Sultão será trabalhado durante a atividade. O tema escolhido foi São Francisco e o Sultão: rompendo fronteiras no diálogo pela paz, e o lema: “Todos saberão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros.” (Jo 13, 35). Durante os momentos de mística, este capítulo da vida de São Francisco será recordado e atualizado para a realidade atual.

Frei Diego Atalino de Melo, coordenador do Serviço de Animação Vocacional (SAV), destaca que esta edição atende um pedido dos jovens e das famílias acolhedoras. A CFJ acontecerá em 3 dias, e não 2, como acontecia. Segundo ele, a motivação nasce do desejo de que os jovens tenham mais contato com os anfitriões e a realidade local. “A estadia nas famílias é um momento forte e oportuno de evangelização, troca de conhecimentos, cultura, partilha de vida. Viver a cultura do encontro, como pede o Papa Francisco”, afirma o frade.

Para esta edição, além do aumento no número de dias, outra novidade é a inscrição, que foi feita totalmente online, através de uma plataforma digital. Frei Diego destaca que além da facilidade no recebimento dos dados do inscrito, a mudança ajudou também os participantes, por dar a opção de pagamento com boleto ou parcelamento com cartão de crédito. Além da inscrição, os jovens se organizam nas comunidades para custear outros gastos, como a viagem, que muitas vezes tem um custo alto.

Além disso, o frade destaca outro aspecto desta 8ª edição: “Nesta Caminhada, seremos acolhidos em grande parte por comunidades rurais. Os jovens terão contato com a realidade de quem vive e trabalha no campo, se alimenta daquilo que produz”, celebra Frei Diego.

O jovem Vinícius Ortiz, de 20 anos, que está na equipe de Comunicação da CFJ, afirma que mais de 80 pessoas estão na organização da CFJ, que será sediada na Paróquia Imaculada Conceição, em Curitibanos. “Em maio formamos um grupo inicial para discutir os primeiros detalhes em relação ao trajeto, apoiadores, divulgação, etc. A preparação está a todo vapor! Já realizamos a separação dos setores, conversamos com as comunidades e divulgamos a caminhada, principalmente para os jovens da cidade. A região de Curitibanos tem uma cultura agropecuária muito forte, fato que colaborou para a escolha do trajeto. Estamos em cerca de 80 pessoas ligadas à organização, envolvendo a juventude, coordenadores de pastorais, líderes das comunidades, além dos frades e das religiosas”, afirma.

 

Para ele, que já participou de duas edições da CFJ, receber a atividade em sua cidade será um momento de emoção e testemunho. “A caminhada nos proporciona vários momentos maravilhosos em que Cristo e São Francisco de Assis se fazem presentes, mesmo quando nem percebemos. Ver vários jovens saindo de suas cidades (algumas muito longe) para caminhar três dias chega a ser loucura, mas uma loucura boa, pois sabemos que dentro de cada coração existe um sentimento de alegria, amor e esperança. São esses pequenos detalhes que me mostram que este é o caminho certo a se seguir”, assegura Vinícius.

Para Frei Diego Melo, este tipo de contato direto com a juventude tem trazido muitos frutos para a Província. “No Capítulo Provincial as atividades do SAV foram avaliadas positivamente. Cada vez mais vamos consolidando um trabalho de evangelização da juventude, criando vínculos de amizade e reforçando a divulgação do nosso carisma. A cada ano que passa, vocações são despertadas e/ou confirmadas através destes eventos”, salienta.

 

Presença franciscana com mais de 120 anos

No dia 20 de junho de 1894, Frei Herculano Limpinsel foi nomeado vigário de Curitibanos. Até então, os franciscanos marcavam presença na serra catarinense na cidade de Lages. Em 2 de outubro de 1891, falece o Pe. Antônio Luiz Esteves de Carvalho, pertencente ao bispado do Rio de Janeiro e há 38 anos trabalhando em Lages. Em virtude disso, o bispo do Rio de Janeiro confia à paróquia aos cuidados dos franciscanos.

Somente em 15 de fevereiro de 1896, Dom José de Camargo Barros, bispo de Curitiba, dava a provisão de vigário de Curitibanos a Frei Herculano. Frei Rogério Neuhaus (+ 1934) e Frei Redento Kullmann (+ 1957) assumiram, neste mesmo ano, as funções de vigário e coadjutor das paróquias de Curitibanos e Campos Novos.

No dia 27 de junho de 1899, Frei Herculano requereu da Prefeitura e recebeu um terreno ao lado da matriz para a construção de uma casa paroquial. A construção teve início imediatamente.

No dia 24 de julho de 1900, chega a Curitibanos o novo vigário residente, Frei Osvaldo Schlenger que, não encontrando pronta a casa paroquial, hospedou-se provisoriamente na casa de dona Cândida Hoefling. Como, naquele 24 de julho, se celebrava a festa do grande missionário franciscano São Francisco Solano (1549-1610), a residência em construção foi batizada de Casa São Francisco Solano, nome que a Casa Paroquial conserva até hoje.

Além da Paróquia, os frades também marcam presença importante no campo da Comunicação, através das Rádios Coroado e Movimento, pertencentes à Fundação Frei Rogério.

 

Números da CFJ

1ª edição: Guaratinguetá (SP), 60 km, 36 participantes.

2ª edição: Guaratinguetá/ Fazenda da Esperança (SP), 29 km, 120 participantes.

3ª edição: Angelina (SC), 22 km, 180 participantes.

4ª edição: Curitiba (PR), 20 km, 300 participantes.

5ª edição: Bauru/ Agudos (SP), 50 km, 270 participantes.

6ª edição: Rodeio (SC), 36 km, 550 participantes.

7ª edição: Campos do Jordão (SP), 38 km, 800 participantes.

 

 

Fonte: Franciscanos

Read 157 times
© 2016 - Ordem Franciscana Secular do Brasil.
Rua Adro de São Francisco, s/n, Saúde,
Zona Portuária, Rio de Janeiro – RJ
CEP 20081-290 - Fone: 55 (21) 2240-4565
Email: ofsbr@terra.com.br